Alternativas para combater a impotência

A impotência sexual, conhecida também como disfunção erétil, é um transtorno sexual que afeta cada vez mais os homens.

Basicamente ela se caracteriza quando o indivíduo não consegue ter uma ereção.

Embora esse problema afetar principalmente os mais velhos, a disfunção erétil vem crescendo entre o público mais jovem (25 a 45 anos).

O fato é que além de prejudicar a saúde sexual e íntima do homem, pode também trazer outros problemas psicológicos como a depressão. Ou seja, a impotência sexual é um problema que pode diminuir sua qualidade de vida.

Felizmente, é possível tratar esse problema através de medicamentos e ervas medicinais que auxilia a ereção masculina.

E no artigo de hoje, eu vou falar sobre 3 medicamentos que muitos homens estão tomando para o tratamento da impotência. Inclusive, todos eles já foram usados por boa parte dos meus amigos.

Pramil

PramilO Pramil é um medicamento para disfunção erétil que pode trazer grandes benefícios a saúde sexual do homem. Entretanto, sua comercialização proibida pela Infarmed, em razão de uma série de problemas colaterais provocados pelo seu uso.

Ainda sim, é possível comprá-lo ilegalmente na internet, sem receita médica.

Seu principal ativo é o citrato de sildenafil, substância com capacidade de inibir o PDE5, um composto que aumenta a circulação sanguínea no pênis, proporcionando ereção mais rígida e por tempo mais prolongado.

Embora seja muito procurado, o Pramil pode sim funcionar no relaxamento da musculatura lisa do pênis e estimulando a passagem e o fluxo de sangue nas artérias, trazendo com consequência a ereção.

Entretanto, o seu uso pode acarretar em inúmeros problemas colaterais. Os principais são a dor de cabeça, tonturas, taquicardia, dor na musculatura e o aumento do desenvolvimento de doenças cardíacas.

Viagra

Azulzinho (viagra)Esse é o medicamento para impotência mais utilizado no mundo. Conhecido também como azulzinho, esse medicamento facilita a entrada de sangue no pênis o que favorece a ereção.

Isso só é possível devido o medicamento inibir a atividade da enzima PDE5 (fosfodiesterase 5).

Essa enzima impede a ereção porque prejudica a vasodilatação e a irrigação sanguínea no pênis.

O uso do Viagra é contraindicado por pacientes em tratamento com medicamentos que contenham qualquer forma doadora de óxido nítrico, nitratos orgânicos ou nitritos orgânicos.

O uso do medicamento também é contraindicado para o paciente que tem hipersensibilidade (reação alérgica) conhecida ao citrato de sildenafila ou a qualquer componente da fórmula.

Levitra

LevitraO Levitra é mais um medicamento usado no tratamento da disfunção erétil.

O principal ingrediente desse medicamento é o Vardenafil. Essa substância inibe a ação da enzima PDE5. Mas para que isso aconteça é necessário houver um estímulo sexual através de excitação psicológica ou contacto físico.

Além disso, para o Vandenafil funcionar é necessário consumi-lo de 1 a 2 horas antes da atividade sexual. O efeito do medicamento ocorre normalmente em 25 minutos após a dose.

Assim como seus concorrentes, Pramil e Viagra, o Levitra oferece alguns efeitos secundários. Porém, estes efeitos não ocorrem em todos os pacientes.

Alguns desses efeitos são dores de cabeça, azia, rubor facial, nariz entupido e dores no peito, aumento da pressão arterial e tontura.

Embora seja raro, pode acontecer do paciente sofrer de priapismo. Priapismo ocorre quando a ereção é persistente e muitas vezes dolorosa, e dura mais de quatro horas. Caso isso aconteça, procure um médico imediatamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *